GRANDES COZINHEIROS (3) - LANCELOT CASTEAU

23/01/2014 18:56

Pouco se sabe a respeito de Lancelot Casteau (ou melhor, "Lancelot Chasteau", ou "Chestea", ou "ANSEAU de Chestea"); sabe-se que ele nasceu em Mons, foi nomeado 'bourgeois' de Liège em 1571 e que cozinhou para os Príncipes-Bispos: Robert Berghen , Gérard Groesbeek e Ernest Ernest de Bavière.

Ele organizou, em 1557, o banquete 'Joyeuse Entrée' de Robert Berghen; é uma cerimônia solene na Idade Média para celebrar a primeira visita de um monarca reinante, príncipe, duque ou governador a uma cidade, em que eram confirmados ou concedidos os privilégios da cidade. A tradição continua até hoje na Bélgica. Os novos governantes tinham que fazer um juramento de seguir o costume da cidade.

Casado com Marie Josselet, chegou a possuir vários imóveis, mas a partir de 1601 a sua situação financeira ruiu com o não pagamento de seus serviços, obrigando-o a viver com o seu filho ourives Georges Libert, que lhe emprestou dinheiro e cuidou da sua manutenção.

Ele publicou em 1604 um receituário que existe apenas uma única cópia do testemunho gastronômico do século XVI - primeiro livro de receitas publicado em francês. 'Chef-coq'  particularmente criativo, a quem devemos a criação de clássicos como 'la crème fouettée', 'brochet à la mode de Hongrie', 'pâté d’artichaut', 'la perdrix à la catalane', 'hachis de carpe ou des moustacholes' e 'biscuit aux amandes'.

Lancelot Casteau morreu em 1613 .

PS: quem tiver interesse no menu da 'Joyeuse Entrée', consulte a página: https://fr.goldenmap.com/Lancelot_de_Casteau#Le_banquet_de_l.27entr.C3.A9e_de_Robert_de_Berghes